quinta-feira, junho 21, 2007

Novas da católica impostura

Numa recente entrevista a um semanário norte-americano, um tal de cardeal Renato Martino (uma das inúmeras gerônticas alimárias que pululam pelos faustosos corredores do Vaticano) defendeu que os indivíduos e as organizações que se sintam identificados com os princípios católicos devem retirar o seu apoio à Amnistia Internacional (AI), devido ao facto de esta instituição se ter declarado a favor da prática de abortos em certos casos, como violações e risco de vida para a mulher.
É, no mínimo, desconcertante este obsceno cinismo do Vaticano, até porque poucas organizações são tão directa e moralmente responsáveis por milhões de assassinatos, como é o caso da hedionda Igreja Católica. E não será preciso recuar aos séculos de vigência da «Santa Inquisição»: pensemos no colaboracionismo cúmplice desta infame igreja papal para com ditadores sanguinários e regimes opressivos como, por exemplo, Franco na guerra civil espanhola, Hitler e o nazismo alemão, Salazar no Estado Novo ou Pinochet no Chile dos anos setenta e oitenta... O que sabe de Direitos Humanos esta atávica e anacrónica gente que polui as margens do Tibre?
As riquezas que abundam no Vaticano e as que constituem o património mundial desta sincrética e pagã religião, assistem estáticas à morte diária de crianças subnutridas e violentadas em África, na Ásia e na América do Sul; defende e fomenta vil e dogmaticamente a discriminação de género, fazendo a apologia da desigualdade entre homem e mulher, pelo que é criminosa e violadora de direitos fundamentais (como a igualdade - de direitos e de oportunidades - e a dignidade). Esta é a igreja que recebe criminosos de guerra contra a humanidade e aceita os seus presentes; e que reúne no seu seio um amontoado de tarados pedófilos protegidos pela hierarquia... Mais que uma instituição de cariz espiritual, o Vaticano é a sede de uma situacionista multinacional máquina de fazer dinheiro com ramificações tentaculares. Como quer esta gentalha ignóbil defender a vida, se nem respeito tem pela dignidade da mesma? Vale-lhes que não têm útero, porque, se o tivessem, os padres saturavam de serviço as clínicas abortivas, como já no século XIX os escritos de Eça tão bem denunciavam.
Ao insurgir-se contra a AI por razões tão fúteis e racionalmente estéreis, o que a Igreja de Roma prova é que é o catolicismo que já não tem amnistia possível!
NOTA: Há um filme, com algum interesse, que denuncia alguns horrores praticados por esta agremiação universal romana - chama-se «Deliver Us From Evil» e, clicando no título, pode ver o trailer. Vale a pena!

5 Comments:

Blogger O Micróbio II said...

A igreja católica nos Estados Unidos ao contrário de atitudes que protegeram sacerdotes no passado, afastou sacerdotes e funcionários com suspeita de envolvimento em casos de pedofilia; colaborou com as autoridades; indemnizou vítimas e demonstrou que está disposta a extirpar de vez do seu meio quem comete este crime. Não é tudo, mas pelo menos é o princípio de um caminhar que tem de abranger toda a sociedade de um modo geral. O necessário é que haja uma mobilização mundial que prenda, julgue e tranque na mais profunda masmorra quem é pedófilo e pervertido sexual, e que as nossas crianças, adolescentes e jovens sejas protegidas definitivamente contra esta perverssão cruel e profundamente odiosa e repulsiva. Atenção às generalizações, caro ALM, porque o simples facto de no mundo já terem sido julgados por pedofilia centenas de professores não poderei concluir que todos os professores são pedófilos... nem nunca vi o Ministério da Educação a indemnizar famílias, como por exemplo num caso ocorrido em Viseu com um professor de ginástica... quanto ao aborto, já deu o que tinha a dar! Agora o tema da moda é objecção de consciência!

4:25 da tarde  
Blogger morffina said...

Let us deliver ourselves from the evils of these demons that roam the earth with their bodies clothed in gilded silk, their fingers loaded with gems and gold and their mouths full of food and the word of god. To hell with them!If only there were such a place...

Abraço
MF

5:25 da tarde  
Anonymous Sem Quórum said...

Meu caro Micróbio: tanta falácia junta preocupa, e só o fervor religioso que tens me faz perceber (mas não comprender) o ponto a que a fé te tolda a lucidez e a razão. O que começas por dizer é falso e o documentário de que falo e outros que vi e li mostram à saciedade que a pedofilia dos padres é mal secular e protegido, sob a ilusória capa de preocupação institucional que "está disposta a extirpar de vez do seu meio" estes tarados (relembro os textos de Eça, que não são contemporâneos!); tantos casos não são uma excepção e o teu fervor até dá legitimidade e cobertura institucional aos tarados que criticas (quem sabe, se calhar alguns já te deram a hóstia)! Agora, comparares padres com professores é de uma má fé ou desonestidade intelectual injustificável: as escolas não são entidades espirituais nem morais nem os profes fazem voto de castidade ou celibato, meu caro - não compares o incomparável! Dizes que "já foram julgados centenas de profes"; pois bem, quem dera que igualmente tivessem sido julgados dezenas de padres!
Tb não fales em "mobilização mundial", pois corres o risco de deixar de ter religião... Tu é que fazes generalizações abusivas (essa dos profes é incrível!) e nem referes a miserável história da tua igreja, refutando a minha argumentação (a história da escola prova como esta é mais útil e íntegra do que a da igreja, apesar de tudo). Qto à objecção de consciência, é o tema da moda, mas provisoriamente, é só uma questão de tempo para impor a democracia aos espíritos retrógrados e conservadores e o ABORTO deixar de ser tabu e aos médicos objectores exigir que o sejam tb no privado - também o aborto era um interdito e já deixou de ser, o que era mais difícil! Dás a entender que quem critica o catolicismo tem lepra ou sofre de possessão demoníaca; falta-te alguma humildade no reconhecimento de factos indesmentíveis, a não ser que sejas revisionista...
Acorda: estamos no século XXI e não no tempo das conjecturas obsoletas de Ireneu de Lyon!
Abraço ecuménico e sem cinismo :)
ALM

7:18 da tarde  
Blogger O Micróbio II said...

Concluir, com base de alguns processos, que os padres são pedófilos faz parte dos "horrores praticados por esta agremiação universal romana"... Concluir, com base de alguns processos, que os professores são pedófilos é "generalização abusiva"... estamos falados!

10:28 da manhã  
Blogger Texuga said...

E viva o Crime do Padre Amaro, logo seguido pelos Maias, retrato de uma sociedade sempre suspeita.

11:08 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home