sexta-feira, julho 20, 2007

Primum vivere deinde philosophare - 56

Etiquetas:

5 Comments:

Blogger antonio said...

Passo esta sem comentário ;)

1:48 da tarde  
Anonymous Sem Quórum said...

Olá António! Por razões profissionais não tive tempo para comentar o teu último comentário, mas não sabia que te importavas tanto com isso :)
Na verdade, acho que foges ao assunto e não contra-argumentas. A igreja católica que eu abomino tem uma influência epidémica na sociedade que é a nossa, muito superior à de outras crenças ou ideologias; daí a maior insistência da minha crítica - não sou politicamente correcto e recuso-me a sê-lo. Todavia, e se leres os posts que aqui já publiquei, dirijo críticas em múltiplas direcções: naquelas em quea meu ver, a violação da justiça, da liberdade ou dignidade humana é um facto.
Abraço gd e bom fim-de-semana e obrigado pela visita regular ;)
ALM

1:25 da manhã  
Blogger antonio said...

Só se combate uma ideia com outra.

Que argumentos pretendes? Denuncias o que de errado vem do mundo do Islão, sem arrastares com isso todo o Islão, sem deixares de respeitar o culto Islâmico, o que em si abre a esperança, que muitos como tu aprendam a respeitar também aquilo que igualmente não entendem e que regra geral lhes está mais próximo e marca as suas origens.

O meu comentário anterior era um sorriso a tudo isso, mas deixemos ficar por aqui o tema, não faltam por aí religiões que se fundaram numa obcecada oposição à IC, sem se aperceberem o que isso as condiciona e limita. Irónico é que sentem um certo conforto libertador.
Um abraço.

5:57 da tarde  
Anonymous Sem Quórum said...

Caro António: 1) um católico a exigir respeito e tolerância é um pouco como um islamista falar das virtudes do toucinho ou os nazis publicitarem a paz... 2) Claro que há coisas que não compreendo, pois os dogmas são, por essência, incompreensíveis; eu uso a razão e por isso vou ao médico em vez de rezar ou arrastar-me em descabidas e patéticas peregrinações. 3) A ICAR foi fundada por razões que de teologia têm quase nada (não deves saber história!) e, como se impôs como igreja totalitária, obviamente que as outras, desde o Grande Cisma de 1059 a Lutero, Calvino, etc., são uma cisão da vaticana. 4) Curioso: se sair da ICAR condiciona e limita, então por que razão os papistas perdem fiéis em todo o mundo e vêm-se a braços com uma "crise de vocações"?
Não sejas arrogante na clausura pagã do teu credo e respeita os outros que, na essência dos textos bíblicos, estão mais próximos da verdade do que possa ser o cristianismo. A verdade da ICAR é a do peso da tradição, beneficiada por séculos de terror e treva intelectual. Os judeus nos campos de concentração nazis não se sentiram pior do que os antepassados nos tempos de D. Manuel ou D. João...
Abraço ecuménico e ateu (herético, portanto!),
ALM

6:39 da tarde  
Blogger antonio said...

Este comentário foi removido pelo autor.

10:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home