quarta-feira, julho 04, 2007

Bushices jurídicas

Mais isolado, sempre sumido de inteligência e náufrago das intempéries internas e externas que ele próprio instigou, George W. Bush usou esta semana o seu mando constitucional para comutar a pena de prisão de dois anos e meio aplicada ao seu obscuro ex-conselheiro Lewis Libby, condenado por perjúrio e obstrução à justiça no âmbito de uma investigação envolvendo a identidade de um agente secreto da CIA. Qual mafioso exemplar na prática de nepotismo, o presidente norte-americano não excluiu mesmo a hipótese de conceder um perdão total a Libby, por considerar que este foi sujeito a uma pena "excessiva".
Ora, enquanto governador do Texas, o actual inquilino da Casa Branca notabilizou-se pela aplicação recorde da pena capital, sem piedade, concessões ou indultos. Ele é, portanto, responsável moral e indirecto por milhares de vítimas que lhe sujaram as mãos e a honra de sangue. Não foi Bush capaz, então como agora, de ter um vestígio de elevação ética e atitude humanista para considerar a pena de morte, essa sim, "excessiva". Portanto, a comutação da pena não está num presumível "excesso", mas num favorecimento gerado de tenebrosas cumplicidades com o arbitrário selo aparente da amizade.
O comportamento político de Bush é tão miseravelmente venal, que até a pena de morte se afigura demasiado branda para o admoestar pelos males irremediáveis que já causou. Em rigor, não há hoje nada mais "excessivo" do que esta criatura que só o umbigo de um povo estúpido e voltado para si poderia presentear ao mundo! "God bless America!"

4 Comments:

Blogger O Micróbio II said...

"...que só o umbigo de um povo estúpido e voltado para si poderia presentear ao mundo!"... interessante! Venham mais frases destas que a Manuella agradece para a tese de doutoramento! Very tipical!

10:27 da manhã  
Blogger antonio said...

Desculpa mas não quero ser aqui o defensor do Bush ou dos americanos, mas posso responder-te com um nome? Paulo Pedroso.

Nunca percebi o fascínio pelo Bush, mas vê como desperdiças o teu talento quando temos por aqui facínoras bem piores e que se eternizam no poder!

10:16 da tarde  
Anonymous Sem Quorum said...

1. Caro Micróbio: Não precisas agradecer - se Maomé não vai à montanha...
2. Caro António: Comparares Bush ao Paulo Pedroso parece-me o mesmo que comparares o pepino com o grão-de-bico! Há aí um qq erro de paralaxe (e eu estou bem longe do PS!)... Mas depois poderás explicar melhor essa referência ao sociólogo.
Abraço a ambos,
ALM

11:13 da tarde  
Blogger morffina said...

Typically microbious!

É uma pena os americanos terem dado mais um mandato ao "Jorge Silva", condenando assim o mundo a esta pena excessiva ...

7:45 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home