sexta-feira, julho 13, 2007

Os desmandos da besta

O bispo Carlos Azevedo anunciou em conferência de imprensa, na sua qualidade de porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, um conjunto de reivindicações deste grémio de pesarosos e anacrónicos anciãos assepticamente trajados que, entre outras enormidades dignas de arrogantes imbecis, contempla exigências abusivas e flagrantemente violadoras da laicidade do Estado. Por exemplo, o bispo Azevedo referiu, indignado, que há dinheiro para fazer campos de futebol mas não há apoio para construir igrejas; e manifestou consternada preocupação pela baixa da natalidade, invocando a necessidade de promover políticas de natalidade.
Apesar de a hegemonia da igreja papista fazer parte de anais pretéritos, esta gente coberta de sotaina ainda tem a insolência dos tempos inquisitoriais (quem sabe nunca esquece!) ao ponto de exigir que os contribuintes paguem a construção dos seus heréticos templos, em que assentam os anafados rabos e propagam com ignomínia a pagã doutrina católica. Pois saiba o sr. Azevedo, que já tem cãs bastantes para isso, que a utilidade pública de um campo de futebol (mesmo sendo pelado ou ervado e não possua bancadas) é incomensuravelmente maior do que cem catedrais. Por que não disse quantos milhões de euros foram absurdamente enterrados no novo e sumptuoso coberto em Fátima? O que fazem às esmolas que recebem nesse hipermercado a céu aberto e fechado, o maior do país, e às recolhidas nas outras sucursais de dimensão diversa espalhadas pelo país? Querem um regime institucional e fiscal de excepção e, simultaneamente, beneficiam de indignos e infames privilégios do Estado...
Por outro lado, se estes candidatos a eminências se queixam da quebra da natalidade, então façam filhos, interrompam a meio da noite o solene ressonar na tranquilidade dos aposentos e mudem a fralda aos rebentos chorosos, embalem o berço, sujem as vestes de baba e ranho, vão a correr às urgências ou à farmácia de serviço...
Mas o nepotismo e os desmandos antidemocráticos desta estirpe de impostores não se fica por aqui: exigem que a escola pública reduza os horários das crianças - assim terão mais tempo para catequéticas lavagens ao cérebro dos inocentes petizes; exigem que as autarquias negoceiem ATL's preferentemente com as dependências e ramificações papistas (Opus Dei, Misericórdias e quejandas) - assim desbaratam comodamente a concorrência e substituem-se às vereações municipais; exigem não só mais dinheiro para betonar a paisagem com a edificação de inúteis templos, mas também para a Universidade Católica, que já é beneficiária de um injustificado subsídio estatal mais elevado que o de muitas congéneres públicas e de todas as outras privadas; e exigem o incremento das escolas privadas, sobretudo se forem oficialmente subservientes ao vaticano credo.
O rol estúpido de reclamações é extenso e nele se podem encontrar outras preciosidades negociais, como a requisição de uma solução do governo para o problema de 180 capelães hospitalares vergonhosamente pagos pelo erário público (mais de 2 milhões de euros por ano) para deambularem de cama em cama em prosélito serviço religioso, assim perturbando o sossego da convalescença e incomodando pacientes ateus e crentes não católicos.
A besta acordou e quer assustar a paz do lugar com os seus espirros... Até audiência pronta lhe foi dada pelo primeiro-ministro, com o qual acordou recuperar provisoriamente os termos da Concordata de 1940, remontando aos tempos de ditadura de tão gloriosa memória episcopal.
Enquanto este opróbrio católico se mantiver, é obsceno falar em despedimentos e supranumerários na função pública ou em congelamentos de progressão na carreira. Quando é que a sociedade acorda igualmente e percebe que o que move esta multinacional romana não é algo de substancialmente espiritual, mas a reverberação cintilante do vil metal?
Os estratagemas comerciais destes medievais malfeitores, ferozes lobos disfarçados de inocentes cordeiros, não lembrariam nem... ao diabo!

4 Comments:

Blogger Ai meu Deus said...

Desta vez exageraste. Só com castigo eterno poderás apagar todas as injúrias que fazes a SS (Suas Santidades). Estás condenado às chamas do Inferno!

Abraço ardente.

12:39 da tarde  
Blogger O Micróbio II said...

O calor começa a fazer os seus efeitos... a boina que tens metida não serve para te proteger do sol e isso repercute-se nas bestialidades que escreves!

3:55 da tarde  
Anonymous Sem Quorum said...

Micróbio: se a boina que, dizes tu, tenho metida não me serve para proteger do sol, e daí inferires que isso se repercute nas bestialidades que escrevo (antes bestial que besta!), imagina as que os bispos e cardeais das tuas congregações têm enfiada... Continuas a viver uma crise de ideias e criatividade, o que não admira, dada a falência (ou colapso?) de capacidade argumentativa pertinente de quem, como tu, está infectado de ortodoxia. Se fosses aos argumentos que apresentei e os rebatesses, serias um mais pio cristão. Mas onde há cruzes não há tertúlia, n'est pas?
Deus te abençoe! :)
ALM

11:12 da tarde  
Blogger morffina said...

Tlim, tlim, tlim ... Continuam hipnotizados pelo insenso ... desculpa, incenso.

8:28 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home